Impresso deChabadMorumbi.org.br
ב"ה

Blog de Inspiração para Crise do Coronavírus

D`us enlutado

Caros amigos,

Hoje, 30/7, 9 de Av, é para nós judeus o dia nacional de luto, quando reverenciamos as tragédias individuais e comunitárias que nos afligiram ao longo da nossa longa história. Como somente D'us tem o poder de curar nossas feridas, neste dia ansiamos pelo consolo divino.

Mas há mais um detalhe importante. D'us também está de luto, e também anseia ser por nós consolado. Portanto, as leis judaicas de consolação que foram dadas por Ele próprio na sua Tora, também se aplicam a Ele.

Quando visitamos um enlutado, frequentemente nos sentimos desconfortáveis. O que dizer nessa situação? Como fazê-los se sentirem melhor? Será que os enlutados desejam ficar sozinhos?

Pela lei judaica, devemos ficar em silêncio e esperar que ele tome qualquer iniciativa. Ele pode querer conversar, rir, chorar, ou não dizer nada. Não é preciso que nos tornemos filósofos nem conselheiros para tentar apaziguar a sua dor. O que vale nestes momentos é estar lá. A nossa simples presença ao seu lado já é um conforto. É mais forte do que palavras, que trazem conforto para a mente, enquanto que a presença traz conforto para o coração. Ele sente que não está sozinho.

Com D`us funciona exatamente da mesma forma. Devemos visitar a sua casa, que é a sinagoga, e mesmo quem não sabe orar, apenas estar lá, junto com a comunidade em Sua casa, faz com que Ele sinta que não está sozinho!

O fato de sinagogas estarem reabrindo (com todos os cuidados necessários), é a esperança do começo da nova era, a chegada de Moshiach e a construção de nosso sagrado Beit Amikdash, o que trará o consolo para todo nós!

Que tenhamos só Simchot!

Um abraço e Shabat Shalom,
Rabino Dovi

Olhando para cima

Caros amigos,

Na próxima quinta-feira, 30/7, é o dia 9 do mês hebraico de Av. Esse é o dia que nós, judeus, reservamos para reverenciar todas as nossas tragédias comunitárias e individuais. Nesse dia, separados por apenas 500 anos, os nossos dois Templos sagrados foram destruídos pelos nossos inimigos. Foi nesse dia, em 1290, que o rei da Inglaterra assinou o decreto de expulsão dos judeus. E em 1492, nesse mesmo dia, ocorreu a trágica expulsão dos judeus da Espanha. Não é coincidência que tudo isso e outras tragédias tenham acontecido em 9 de Av.

 

Na situação atual em que o mundo se encontra, a nossa lista de motivos para lamentar é mais longa... No entanto, 9 de Av é um dia que também nos traz à mente um velho ditado iídiche, que alguns de nós tivemos o privilégio de ouvir dos nossos avôs: "Mir velen zei iberleben", que significa "Nós vamos superá-los" ou mais especificamente, "Teremos uma vida mais longa do que eles".

Dois mil e quinhentos anos se passaram desde a destruição do 1º Templo. Nesse longo período da história, repleta de perseguições, continuamos vivendo a nossa História, e isto por si só já é um milagre! E este milagre é a verdadeira expressão da nossa eternidade.

A situação de nosso povo hoje é melhor do que nunca! Babilônios, gregos, romanos, etc. só aparecem na Wikipédia, enquanto que o nosso povo... Bem, fomos nós que criamos a Wikipédia!

Estamos passando por tempos difíceis, mas este triste dia 9 de Av deve nos lembrar para olhar para Cima e lembrar que "Mir velen zei iberleben"!!!

Um abraço e Shabat Shalom,
Rabino Dovi

Siga em frente

Caros amigos,

Triger-word significa "palavra-gatilho". São palavras que provocam reações muito fortes em nós e que mexem com as nossas emoções. Ultimamente, são palavras mais ligadas a política, e apenas proferindo-as, faz com que a nossa mente se desligue de todo o resto.

Nós judeus, temos as nossas próprias "palavras-gatilho". Por exemplo "Israel" ou "Holocausto". A emoção que sentimos ao ouvi-las não pode ser sentida plenamente e nem entendida por quem não é da comunidade, por mais que sejam próximos e conheçam a nossa história.

No mundo atual, cada vez mais maniqueísta, interesses políticos acabaram criando "palavras gatilho", tirando-as do seu contexto e de seu significado natural e neutro. Palavras como "remédio", "médico", "medicamento", "hospital", etc, agora também tem o intenso poder de criar inimizades entre amigos, distanciar pessoas de uma família e até da própria comunidade.

Amigos, vivemos tempos perigosos demais para nos dividir. Há pessoas vivendo situações reais de vida ou morte. Estão em perigo físico e emocional. Há os que estão desempregados, depressivos, solitários, famintos, em pânico. Não é hora de desperdiçar a nossa energia divergindo, especialmente dentro da nossa comunidade.

Durante este doloroso período de pandemia, as pessoas da nossa comunidade têm mostrado o seu melhor, ajudando de várias formas pessoas e entidades carentes. A nossa comunidade merece um grande parabéns! Vamos focar no objetivo maior, que é apoiar a quem precisa.

Eu queria que palavras como sinagoga, judaísmo, Torah, Tefilin, Shiur fossem também nossas "palavras gatilho". Quando isto acontecer, tenho certeza que todos nós estaremos muito mais fortes e felizes!

Caso eu tivesse a honra de me encontrar pessoalmente com o próprio Dr. Albert Einstein, eu acho que sei o que ele diria sobre a controvérsia em torno do hospital que é o nosso orgulho e leva o seu nome: "Siga em Frente"!

Um abraço e Shabat Shalom,
Rabino Dovi

A cura holística

Caros amigos,

O Talmud nos ensina que a Torá é uma "panaceia", e garante que se alguém tem dor de cabeça, de garganta ou estomago ou qualquer problema de saúde, o remédio é estudar a Torá... A cada órgão do corpo humano, corresponde um trecho da Torá.

Se alguém estudou a Torá e não teve o alívio de qualquer dor, a explicação é que se deve estudar o trecho da Torá especifico, correspondente ao órgão doente.

Mas como saber qual o trecho da Torá que corresponde à uma doença específica? Simples, estude a Torá inteira, e aí certamente você resolverá o seu problema de saúde...

Será que existe alguém capaz de estudar toda a Torá"?

O Rebe levantou este assunto quando iniciou a campanha diária de estudo de Maimônides (Rambam). Ele explicou que a singularidade histórica do livro de Maimônides é que ele é o único livro que agrega toda a Torá. Esse livro detalha todas as leis da Torá, incluindo as relativas à época da chegada de Mashiach e o terceiro Templo em Jerusalém. Através deste estudo, a pessoa por menos erudita que seja, consegue estudar em um ano toda a Tora.

Hoje, nove de julho, judeus ao redor do mundo completam mais um ciclo anual de estudo diário de Maimônides. Um grande grupo da nossa comunidade no Morumbi participou este ano, recebendo todos os dias uma gravação do Rabino Yasha, com a Mitzvá diária do estudo de Maimônides.

Não sei quando na História da humanidade, tanta gente procurou conselhos para resolver problemas de saúde, porem o Todo-Poderoso nos deu a receita para a cura da Covid-19 à muito tempo: estudar o Rambam, as leis de toda Torá, e assim receber os benefícios da cura holística, que trata dos problemas de todas as doenças à partir de sua raiz.

Um abraço e Shabat Shalom,
Rabino Dovi

Auto sacrifício

Caros amigos,

Neste Shabat celebramos o dia 12 de Tamuz, o dia que em 1927 o Rebe anterior foi libertado da prisão russa, onde ele havia sido mantido pelo "crime" de espalhar o judaísmo.

Em 1921, imediatamente após a revolução bolchevique, os comunistas declararam guerra contra o judaísmo. O Rebe anterior reuniu em Moscou nove Chasidim, que junto com ele formaram um Minyam (quórum de 10), e juntos firmaram o famoso pacto, onde juraram que fariam tudo o que estivesse ao seu alcance para manter o fogo do judaísmo aceso, a todo custo, mesmo doando as suas vidas, "até a última gota de sangue." Eles criaram sinagogas, mikves e escolas clandestinas. Muitos realmente foram presos, torturados e mortos.

Os pais da minha mãe perderam contato entre si por 2 anos porque meu avô estava escondido, pois estava sendo procurado pelos comunistas, pelo "crime" de espalhar o judaísmo.

Esta história da luta dos judeus russos traz em si uma lição eterna: necessitamos manter o espírito forte sempre. Não podemos cansar ou ceder para forças aparentemente mais fortes. Temos que acreditar que a fé acabará vencendo.

Atualmente "auto sacrifício" tem outra dimensão. Pela Cabalá, "auto sacrifício" significa "ceder"! Hoje "auto sacrifico" é manter o judaísmo vivo e em primeiro plano. Este é o "custo" esperado de nós.

Um abraço e Shabat Shalom,
Rabino Dovi

Procurando postagens antigas? Veja a barra lateral para o Arquivo.