Impresso deChabadMorumbi.org.br
ב"ה

Blog de Inspiração para Crise do Coronavírus

"Se D'us quiser"

Caros amigos,

Bernie Marcus, cofundador da “The Home Depot”, é considerado um dos maiores filantropos dos EUA e um grande doador para causas em Israel.

Ele foi responsável por criar um dos maiores aquários do mundo, o Aquário da Geórgia, nos EUA, com fundos próprios, doando 350 milhões de dólares!

Ele conseguiu algo inédito: reunir oito tipos de tubarões. É o único aquário do mundo a ter isso. Mas, durante a construção do aquário, manteve isso em segredo, pois queria usar esta exclusividade como publicidade.

Inicialmente, Bernie pediu para que construíssem um tanque capaz de conter um milhão de galões de água, mas não explicou o porquê. Os arquitetos não quiseram fazer, afirmando que não seria necessário um tanque tão grande. Então, ele os demitiu.

Ele contratou outros arquitetos sem experiência em projetos de aquários. Eles aceitaram o desafio de construir um tanque com essas dimensões, dizendo “Por que não?!” E assim, o projeto deu certo, graças à falta de experiência! Às vezes, a ignorância é uma bênção.

Há cerca de três meses e meio, todos tínhamos muitos planos: celebrar Pessach com os pais, ou em um hotel no exterior; pedir aumento salarial; mudar de apartamento; expandir os negócios; viagens de férias, etc, etc.  E, de repente, tudo mudou. É difícil viver com incertezas. Queremos planejar, definir eventos, fazer negócios, fazer investimentos, etc.

Hoje percebemos o quão pouco sabemos e controlamos. Encontramo-nos todos no escuro. Mas, às vezes, não saber nos mantém focados. Então, reconhecemos que tudo vem d’Ele.

Esse reconhecimento traz humildade aos nossos corações. Não governamos o mundo, nem nós mesmos. Podemos e devemos agir, mas, no final das contas, o sucesso está com o Criador.

É por isso que nós, judeus, costumamos dizer: “Se D’us quiser” e “Com a ajuda de D’us”. 

Um abraço e Shabat Shalom!
Rabino Dovi 

A harmonia e a quarentena

 Caros amigos,

A administração da Casa Anne Frank em Amsterdã, Holanda, produziu uma série baseada no “Diário de Anne Frank”. São 15 vídeos curtos em que parece que a própria Anne Frank está nos contando a sua história. Este trabalho demorou alguns anos, e o lançamento aconteceu justo agora, durante a pandemia do COVID 19.

No início do Diário, Anne Frank observa que está encarcerada em casa, e precisa aprender a se dar bem com a sua mãe, irmã e as outras pessoas na casa. Alguma semelhança com o que nós estamos vivendo agora?

Na quarentena, nos demos conta que crianças pequenas ficam felizes de estar em casa com seus pais, porém os adolescentes não. Esta série de Diário de Anne Frank faz eles se identifiquem e entendam com mais facilidade o que Anne Frank viveu...

A Parashá desta semana é sobre lepra. Pela nossa tradição, essa doença era uma punição divina por falar mal dos outros. A fofoca causa a separação de amigos, e por isso, o leproso era condenado ao isolamento completo, inclusive dos outros leprosos.

Era um “tempo para repensar". Enquanto isolado, ele refletia e percebia o quanto a família e os amigos são importantes para todos.

Faz dois meses que D’us deu ao nosso mundo “um tempo” para conviver com a nossa família. Talvez a mensagem final seja que devemos fortalecer o respeito, a harmonia conjugal e os laços familiares como eram “antigamente”.

É o tempo ideal para apreciarmos este presente maravilhoso, a família, transformando o limão que D’us nos mandou em uma doce limonada!

Um abraço e Shabat Shalom,
Rabino Dovi

Dias Extraordinários

Queridos amigos,

Nesta quinta-feira, o último dia de Pessach, seria a primeira vez que eu iria recitar a oração Yizkor pela alma de meu saudoso pai Z”l  na Sinagoga (recitamos o Yizkor apenas um ano após o falecimento de entes queridos).

Mais pesada é a situação das famílias e de seus entes queridos que morreram nestas semanas e não puderam ter o Kadish dito por eles! Como pode D`us colocar-nos numa situação destas? E estamos a falar de pessoas muito especiais!

Não aceitamos as explicações negativas, isto não é um castigo e não temos feito algo errado, mas devemos entender de forma exatamente oposta.

Em circunstâncias normais, quando uma pessoa falece, precisa dos benefícios que o Kadish traz para amenizar a dolorosa transição da Terra ao Céu, recitamos o Kadish durante 11 meses para ajudar tornar esse processo mais fácil.

Quando D`us cria uma circunstância em que uma pessoa falece e ninguém pode dizer Kadish por ela, Ele está dizendo, talvez, que estas pessoas não precisam de Kadish, elas vão diretamente para o Céu e não precisam da ajuda para facilitar o caminho.

Então, na realidade, algo extraordinário está acontecendo, e é nosso dever entender isso.

Em relação à Sinagoga é assim também. Há uma importância extraordinária em orar em uma Sinagoga e um incrível poder espiritual em rezar com um Minyan (quórum de 10). Porém, não agora, estamos vivendo tempos diferentes!

Rezamos para que tudo isto seja revelado e compreendido muito em breve. Estamos no momento mais propicio para isso. De acordo com os místicos, nos “últimos dias” de Pessach, brilha a luz e a energia espiritual da verdadeira liberdade, da época Messiânica. São dias extraordinários, em que captamos um fluxo que nos dá força e poder para nos livrar das ansiedades materiais e espirituais no decorrer do ano.

Um abraço e Gut Yom Tov,

Rabino Dovi

Observação importante:  O Yizkor, diferente do Kadish, deve ser recitado em casa mesmo não tendo Minyan e sem a Torah. Também pode fazer a doação on-line em honra às almas dos entes queridos, como é habitual nesta oração. Clique aqui e imprima o texto e faça sua doação online antes de Yom Tov.

Mensagem de Pessach

Muito antes de Zoom, havia telepatia mental.

O Baal Shem Tov ensinou que uma pessoa está onde estão os seus pensamentos.

Quando você se sentar para o seu Seder, saiba que estaremos junto com você e você estará junto conosco. Nunca estamos sozinhos.

Hashem está conosco mesmo em tempos amargos, e assim como no Egito, teremos bons tempos pela frente.

Que a festa da nossa liberdade nos traga liberdade e alegria aos nossos corações, e que possamos levar essa liberdade e alegria para o ano inteiro!

Chag Sameiach!!

De novo em quarentena?


Caros amigos,

Nos últimos 3.331 anos, desde a saída do Egito, celebramos Pessach junto com a nossa família, amigos e com a comunidade. Mas há 3.332 anos, na noite anterior à saída do Egito, fizemos nosso primeiro Pessach em quarentena, sozinhos, em nossas casas. "Ninguém deve sair de casa" foi uma das instruções que recebemos de D'us na época.

Parece que D'us está querendo que façamos o Seder deste ano igual ao que os nossos ancestrais fizeram quando saíram da escravidão do Egito. E que "coincidência", este ano o Seder será na quarta-feira à noite, o mesmo dia da semana como naquele primeiro ano!

Pelas circunstâncias, o Seder deste ano será relembrado pelas nossas famílias para sempre. Cabe a nós garantir que estas memórias sejam as mais incríveis e inspiradoras.

Você precisa de orientações para organizar o Seder? Oferecemos todas as instruções necessárias para fazer deste Seder uma celebração inesquecível. Estamos dando aulas ao vivo por intermédio do “zoom”, além de e-mail e telefone.

Veja aqui um guia completo do Seder, incluídos vídeos e a Hagadá em Hebraico e português. Se você tiver alguma dúvida ou se pudermos ajudá-lo de alguma forma antes de Pessach, não hesite em nos procurar.

Desejando a você e sua família um Pessach libertador, saudável e alegre!

Rabino Dovi e Chani

Procurando postagens antigas? Veja a barra lateral para o Arquivo.